Férias, turismo e o impacto no planeta

20 de março de 2018

1. Vamos de férias!

Dentro de poucos meses surgirá o verão e, para alguns, as esperadas férias. Será tempo de carregar “baterias”, desligar do quotidiano, descansar, conhecer outros locais do mundo, dedicar tempo aos amigos e à família, ou praticar actividades físicas em lugares especiais.

Este período de lazer que se apresenta como um misto de prémio pelo trabalho realizado e de respeito por uma necessidade de descanso, tem repercussões positivas na vida pessoal e profissional e está directamente relacionado com a actividade turística: uma das maiores e mais importantes actividades económicas à escala planetária. Uma actividade aparentemente benéfica para todos mas que possui um reverso da medalha: o turismo pela sua natureza e dimensão enquanto actividade planetária é também das actividades com mais impactos negativos no ambiente e no tecido social dos locais visitados.

2. A sustentabilidade do turismo

A necessidade intrínseca de férias, de quebra com a rotina e de se estabelecer uma ligação à natureza e a novas culturas, deu ao turismo uma importância crescente e com o tempo foi-se industrializando e afastando do necessário equilíbrio com os ecossistemas e com as sociedades onde se realiza. A ideia geral de que se trata de uma actividade inócua esconde a existência de impactos de diversa natureza, desde um uso intenso de transportes que utilizam energias fósseis, uma alimentação muitas vezes descontextualizada, ao uso excessivo de recursos limitados, motivando conflitos graves com a população local. Debaixo da mesma actividade económica existem tanto as mais sustentáveis experiências de lazer como também as mais deploráveis “nódoas”, como é o caso do turismo sexual ou de alguns contextos onde a população local é explorada para proporcionar um turismo a baixo custo para quem tem um elevado poder de compra.

A complexidade dos produtos turísticos, muitas vezes vendidos em pacotes sem informação nem certificação, leva um desconhecimento generalizado do que está por detrás de todos os elementos que compõem as experiências que são vendidas muitas vezes como algo paradisíaco. E embora o incentivo de produtos de turismo sustentável seja da responsabilidade de governos, das agências turísticas e dos agentes que os produzem e vendem, está nas mãos dos consumidores um importante papel que se deve evidenciar.

3. O poder de cidadão na criação de um turismo mais amigo do planeta

O turismo é assim uma actividade que pode possuir impactos muito negativos na sociedade e no ambiente ou pode também ser um importante contributo para alcançarmos um planeta mais sustentável. Mas o que podemos fazer para conseguirmos férias mais sustentáveis? Vejamos algumas ideias a seguir:

Antes das férias: Pesquisar, obter informação, e planear cuidadosamente as férias; Preferir viagens curtas e evitar destinos onde o turismo perpetua injustiças sociais e possui fortes impactos ambientais negativos; Medir a pegada de carbono a realizar e reduzi-la tanto quanto possível; Escolher agentes (empresas que vão contribuir para o produto turístico que compramos) certificados ou comprometidos com práticas sustentáveis e éticas; Aprender um pouco da língua e dos costumes do local a visitar; Escolher transportes que possuam menor impacto ambiental negativo.

Durante as férias: Respeitar as comunidades visitadas; Poupar recursos (água, energia, alimentos, …); Usar os transportes e o comércio local; Escolher lembranças e compras relacionadas e que apoiem a cultura local; Não participar em actividades que explorem animais selvagens ou em cativeiro ou que danifiquem o ambiente; Deixar a vida selvagem como a encontra e nunca alimente animais; Usar roupas adequadas; Pedir autorização para tirar fotos; Preferir alimentação local, produzida de forma sustentável.

Depois das férias: Reflectir sobre o impacto dos diversos elementos e o resultado das decisões tomadas; colaborar com iniciativas sociais e ambientais sustentáveis com as quais se tenha contactado; Apresentar reclamações e propostas de melhoria a todos os agentes turísticos que poderiam ter tido um melhor desempenho ambiental e social.

Aumentar a sustentabilidade do turismo depende de todos, mas em particular do poder dos consumidores em tomar as decisões adequadas. Está bem nas nossas mãos fazer um turismo mais PAN que tenha em consideração a necessidade de criar benefícios duradouros nas pessoas, nos animais e na natureza dos locais que visitamos. Sejamos mais sustentáveis, também durante as férias!

4. Mais informação sobre como ser um turista mais responsável

https://www.tourismconcern.org.uk (em inglês) ONG que luta contra problemas de direitos humanos, sociais e ambientais no turismo

http://sdt.unwto.org/about-10yfp-stp (em inglês) Rede de turismo sustentável da Organização Mundial do Turismo

www.tourism4development2017.org/wp-content/uploads/2017/08/tips_web_es.pdf (em espanhol) Conselhos práticos da Organização Mundial do Turismo

http://responsibletourismpartnership.org (em inglês) Rede de Turismo Responsável

www.ecotourism.org (em inglês) Associação Internacional de Ecoturismo

20 de março de 2018

Pedro Morais, membro da Comissão Política Nacional