Comunicados

“Joaquim Sarrasquenho médico delegado especialista em saúde pública, já garantiu que até ao momento não há conhecimento de qualquer problema de saúde com os touros de Idanha, o delegado de saúde considera que os riscos são idênticos ao de qualquer animal que vive em estado selvagem, como javalis, veados, lebres.”

Este foi o depoimento prestado pelo delegado de saúde pública à RTP a 08 de Novembro.

Assim, o PAN considera a decisão da DGAV de abater a tiro estes animais ilegal e uma solução vergonhosa para uma situação que já se arrasta há mais de dez anos e que já teve como consequência a morte de pelo menos uma pessoa.

Em carta enviada ontem à DGAV o PAN exige que lhe sejam prestados os seguintes esclarecimentos:

 

Continuar...

No âmbito do 6º PANdebate, que teve lugar no Porto, no dia 21 de Setembro de 2012, o filósofo e activista norte-americano Steve Best apresentou a sua intervenção intitulada "Tudo o que sabe sobre o Homo sapiens está errado: descentrar/recentrar a identidade humana e as implicações revolucionárias da Etologia Cognitiva".

 

Segundo as últimas informações vindas a público sobre este caso, a DGAV e o Município de Idanha-a-Nova vão avançar na próxima segunda-feira com o acantonamento  e abate dos 250 animais que se encontram à solta em Segura.

O PAN condena esta decisão sobre um caso que se arrasta há mais de dez anos. Conscientes de que se trata de uma situação grave pois já provocou a morte de uma pessoa e ferimentos graves em outras duas, o PAN entende que outro desfecho deve ser dado a este caso encontrando-se uma alternativa que não passe pelo abate massivo destes animais, mostrando assim a DGAV e Município de Idanha-a-Nova uma atitude mais evoluída a favor dos animais e do ambiente.

Este caso é sintomático do tratamento que os animais e as populações têm por parte das entidades oficiais: as situações arrastam-se durante anos até pessoas serem gravemente feridas ou mortas e no final os animais são abatidos e expostos a um enorme sofrimento.

Para o PAN a melhor solução para esta situação, é apanhar estes animais ainda que tenham de ser adormecidos um a um e coloca-los numa reserva onde possam ter acesso a água e pasto, controlando devidamente a população através da castração dos bois.

 

Recentemente chegou ao conhecimento do PAN, através de uma denúncia da Associação de Protecção dos Animais de Torres Vedras, que com a mudança da Direcção do Externato de Penafirme, deixou de haver uma preocupação com o bem-estar dos animais aí residentes, havendo inclusive a intenção de praticar a eutanásia nos cães aí residentes.

Perante esta mudança radical de tratamento dos animais e o perigo de vida que estes seres sencientes se encontram, o PAN enviou uma carta ao actual Director do Externato e que passamos a transcrever na íntegra:

“O Partido pelos Animais e pela Natureza – PAN, tomou conhecimento da decisão de V. Ex.ª em relação aos animais que vivem nas instalações do Externato de Penafirme e que até à data haviam sido alvo de tratamento adequado, cuidadoso e digno pelo antigo Director, o P. Alfredo Cerca.

O abandono de animais por uma pessoa individual ou por uma instituição constitui  contra-ordenação punível por lei, mas sobretudo uma intolerável violação dos direitos dos animais e dos nossos deveres para com eles.

Continuar...

Esta é uma das conclusões avançadas no estudo "Desigualdade Económica em Portugal" da autoria do Prof. Carlos Farinha Rodrigues e divulgado pelo ISEG e Fundação Manuel Francisco dos Santos (https://aquila.iseg.utl.pt/aquila/getFile.do?method=getFile&fileId=304073).

As conclusões deste estudo (que pretende fazer uma análise detalhada e rigorosa do que aconteceu à desigualdade económica em Portugal nos últimos 30 anos) são sintomáticas da política social que tem sido aplicada em Portugal nas últimas décadas.

Apesar da melhoria das condições de vida do conjunto da população e da diminuição dos vários aspectos da pobreza monetária, Portugal continua a apresentar valores de desigualdade superiores aos da média da UE.

Esta discrepância em relação à UE seria ainda maior se não tivessem sido aplicadas políticas sociais como o subsídio de desemprego ou o rendimento social de inserção, políticas essas que este executivo e o FMI têm tentado eliminar.

 

Continuar...

Neste momento, 250 touros e vacas bravas andam à solta no concelho de Idanha-a-Nova, tendo já provocado a morte de um pastor e ferido três pessoas, além dos danos materiais provocados. O mais insólito neste caso é que estes animais pertencem a um Médico Veterinário que exerce funções em Albergaria.

É uma situação gritante de negligência com o bem-estar animal que já se arrasta há doze anos. O médico veterinário deixou as cercas da sua propriedade chegar a um tal estado de deterioração que neste momento os animais encontram-se à solta sem estarem brincados ou vacinados, colocando em risco as populações vizinhas.

Continuar...

Sem prejuízo de uma análise mais pormenorizada da proposta de Orçamento de Estado hoje apresentada, aquilo que já é conhecido não pode deixar de merecer um forte repúdio por parte do PAN.

 

Ao mesmo tempo que se alteram unilateralmente contratos celebrados com trabalhadores e pensionistas, continuamos a assistir à quase intocabilidade daqueles que foram celebrados ao abrigo de Parcerias Público-Privadas (PPPs) que se têm revelado ruinosas para o Estado e, em diversos casos, ilegais ou pouco claras.

 

O PAN Nacional vem por este meio congratular o PAN Açores pelo resultado obtido nas eleições de 14 de Outubro de 2012 para a Assembleia Legislativa dos Açores.

 

Tendo em conta o contexto político actual e o facto de ser a primeira vez que o PAN se apresenta a estas eleições, não podemos deixar de considerar como bastante positivo um resultado de 1,19% dos votos no círculo de São Miguel, o que representa um crescimento de 57% em relação às Legislativas de 2011 - o único termo de comparação existente.

Comemora-se hoje, dia 4 de Outubro, o Dia Mundial do Animal.

Para o PAN – Partido pelos Animais e pela Natureza - comemorar este dia é recordar os biliões de vítimas da violência milenar que a humanidade tem exercido e continua a exercer sobre os membros de outras espécies de seres vivos e sencientes, diferentes na forma do corpo, na linguagem e no tipo de faculdades mentais, mas iguais na capacidade de sentir, bem como na busca de segurança e bem-estar e na fuga ao sofrimento físico e psíquico.

Se a violência das civilizações humanas não tem vitimado apenas os animais não-humanos, numa fúria destruidora que tem devastado os recursos naturais do planeta e a própria humanidade, a verdade é que os animais são as vítimas mais impotentes e indefesas, que padecem em silêncio todas as mais impensáveis atrocidades e horrores que lhes são infligidos pela ignorância e maldade humanas.

Comemoremos então este dia com um gesto simples mas que pode fazer uma grande diferença para milhares de animais: assinando e partilhando as petições e aderindo à iniciativa 2.ªs Sem Carne. Bem-hajam!

Petição pela substituição da experimentação animal por alternativas:
http://www.peticaopublica.com/PeticaoVer.aspx?pi=experani

Petição pela abolição das touradas e de todos os espectáculos com touros:
http://peticaopublica.com/PeticaoVer.aspx?pi=010BASTA

Iniciativa 2.ªs Sem Carne, pela redução do consumo de carne animal na alimentação:
www.2semcarne.com