By

Muito obrigado Senhora Presidente, Senhores Secretários, Senhores Vereadores, Senhor Presidente da Câmara, colegas Deputados Municipais, Queria fazer um agradecimento especial, obviamente, a todos os Convidados para esta Sessão, que nos vieram trazer conhecimento, perspetiva, valores, para pensarmos de forma mais completa toda esta situação relativa à expansão do Metro.

Eu creio que será do mais elementar bom senso que, perante o tempo em que vivemos, a situação económica do país, o investimento que vai ser feito possa ser para o máximo bem comum de toda a população de Lisboa e, portanto, não me parece muito razoável que o investimento que, de quase 300 milhões de euros que o país em boa hora está preparado para fazer na Cidade de Lisboa, possa ser aplicado na zona de Lisboa que melhor está servida de transportes e, portanto, não só que a utilização do grosso do dinheiro seja feita na Zona Central, na nova Circular, me parece despropositada relativamente à utilidade, como ainda ouvimos de vários técnicos, a opinião de quem levanta algumas considerações de ordem técnica que não estão minimamente esclarecidas, porque do que se conseguiu perceber é que a Linha Circular é excelente, quando circulam os comboiosQuando os comboios não conseguem circular a Linha Circular é uma dor de cabeça que a traz bastantes problemas a dezenas de estações da Cidade, portanto, esta questão fundamental de estar a aplicar cerca de 300 milhões de euros à zona melhor servida de transportes da Cidade e ainda por cima com questões técnicas complexas já à partida nos parece errada.

Para mais quando nós temos ainda sem pensar na expansão mais completa,temos zonas a entre o Vale de Alcântara e o Vale de Chelas, digamos, o núcleo central da Cidade de Lisboa, que estão por densificar em termos de transportes. Quanto mais tempo é que nós vamos continuar a considerar os bairros de Campo de Ourique, Campolide como zonas quase exteriores a Lisboa? Porque é que devemos considerar que, perante a remodelação que está a ser feita no Urbanismo da Cidade aquelas zonas podem continuar a ter segundas filas, terceiras filas de estacionamento e não consideramos a introdução do Metropolitano e a possibilidade de começar a tirar carros da cidade, e dar aos moradores uma alternativa? Aos moradores e às pessoas que queremos que voltem para Lisboa, temos meio milhão de habitantes, e temos infraestruturas para 1 milhão de pessoas, ou mais, então, porque é que não criamos em toda a cidade, as infraestruturas de mobilidade para que as pessoas possam vir para Lisboa.

Esta questão da Zona Ocidental que, felizmente foi consensual para a maior parte dos Deputados que falaram até agora, eu creio que é crítica, se pensarmos neste número de ter 300 milhões de euros, ou perto disso, para investir na densificação de uma Zona Central da Cidade entre o Vale de Chelas e o Vale de Alcântara, acredito que esta opção da Linha Circular, não é certamente a melhor opção.

Para além disso, como também já foi aqui referido, existe a questão da ligação a Loures que permitiria tirar da Cidade mais dezenas de milhares, ou sabe-se quantos carros a poderiam também ser eficazmente retirados, portanto, eu creio que não só pela questão do benefício para o bem comum dos lisboetas, não só pelas questões técnicas que ouvimos já hoje, estas opções devem ser repensadas, acho importante densificar a Rede do Metropolitano dentro do núcleo principal da Cidade de Lisboa e posteriormente fazer as ligações para além do Vale de Alcântara e do Vale de Chelas, é prioritário também me parece a ligação a Loures.

Vi com surpresa a questão da Ligação Ocidental ao Aeroporto, realmente por vezes, são tomadas opções que aquele ditado “há razões que a razão desconhece” se aplica bem e esta parece ser uma delas e, portanto,  há muitas situações em que realmente deve ser feito o investimento. Na Circular, se um dia se arranjarem alternativas para os problemas técnicos que ela tem, eu acho que conceptualmente e do ponto de vista do bem-estar ou da facilidade dos utilizadores na Baixa é uma ideia ótima,  fico maravilhado com a possibilidade de ter o Metropolitano de 3 em 3 minutos, mas é caso para dizer, por favor, pensem nas prioridades, pensem no máximo benefício do bem comum para todos os lisboetas. Muito obrigado.

Lisboa, 16 de maio de 2017

Video da Sessão

 

Leave a Reply