By

 

PAN participa no melhoramento do “Programa de Renda Acessível” convencendo a CML a introduzir nas condições do concurso a obrigatoriedade de fazer cálculo de resistência sísmica e consequentes reforços estruturais, aquando da remodelação de imóveis. Estão em jogo cerca de 7000 fogos reabilitados para os próximos anos, que marcam um incremento da segurança para os Lisboetas que voltam para a cidade.

Na Sessão Extraordinária de Assembleia Municipal, do dia 30 de maio de 2017  foram votadas as Proposta 180/CM/2017  e 182/2017 do Programa de Renda Acessível.

A Vereadora da Habitação, Paula Marques,  acolheu o contributo dado pelo PAN para que fosse incluído no Programa e deste modo “robustecer” a proposta com a questão da resiliência anti-sísmica.

Como tal passou a constar na:

Proposta 108/2017, acrescentado a alinea m) resiliência anti-sísmica  nos edifícios reabilitados ; avaliação e reforço da resistência sísmica em conformidade com os resultados da avaliação

Proposta 182/2017 na memoria descritiva do projecto de estabilidade –  “evidenciando soluções propostas de deslizamento de terras….” – acrescentando  o seguinte: avaliando a necessidade e propondo em conformidade as medidas de  reforço da resistência sísmica a implementar em edifícios  sujeitos a obras de reabilitação.

 

Video da Sessão acerca dos Programas de Renda Acessível

 

Leave a Reply