By

No seguimento de um comunicado publicado na página oficial da Provedora dos Animais de Lisboa no passado dia 27 de outubro, sobre a questão do controlo populacional dos pombos de Lisboa que está a ser desenhada pela Câmara Municipal, e atendendo uma eventual tomada de decisão da Câmara Municipal no sentido de avançar com os serviços falcoeiros em alternativa à instalação de pombais contracetivos, o Grupo Municipal do PAN manifesta e reitera o total repúdio face a tal método, que nunca viabilizou nem viabilizará enquanto forma de controlo e de abate de pombos na cidade de Lisboa, porquanto é atentatório dos mais básicos imperativos de Ética animal e uma intervenção na predação natural.

Relembramos que  o Grupo Municipal do PAN apresentou a 15 de setembro de 2015 a Recomendação 01/81 – “Pombal Contraceptivo”, que passou a Deliberação: 242/AML/2015, visando a criação de estruturas de reprodução artificial e que constituem um método de controlo populacional de pombos cada vez mais popular na Europa e que tem por fim resolver o problema concreto do excesso populacional de pombos, seguindo o exemplo já testado com sucesso noutras cidades como Paris, Munique, Amesterdão, Nova Iorque e Londres.

Do mesmo modo e de acordo com a informação disponibilizada na comunicação social, a partir de março a Câmara de Lisboa iria adotar a estratégia proposta pelo PAN em 2015, estando disponível para instalar estes pombais, em várias juntas de freguesias como Olivais, Carnide Lumiar e Penha de França.

A posição agora tomada de recorrer à falcoaria não como método utilizado no afugentamento de aves à semelhança do que já existe nos aeroportos, mas como forma generalizada de abate e controlo da população de pombos, consubstancia em nosso entender um total retrocesso nesta matéria e como tal o PAN repudia vivamente este acto.

 

Leave a Reply