By

No mês passado, o PAN, por estar preocupado com a requalificação dos trilhos de Monsanto, pediu informações à Câmara Municipal de Lisboa sobre os planos para o Parque Florestal de Monsanto.
A resposta chegou, no entanto não estamos satisfeitos com a mesma pois a CML considera que “no final destas intervenções o Parque Florestal de Monsanto estará consideravelmente melhor para a mobilidade, mais confortável, sustentável e duradoiro”.
O PAN discorda: continuamos a criticar a escolha dos materiais nos trilhos. Ao contrário do que a CML diz, não acreditamos que sejam “confortáveis para o utilizador a pé, a correr ou de bicicleta”.
Também as fundamentações técnicas nas quais foram baseados a escolha de materiais e o corte de raízes são escassas. Onde estão os estudos consultados? Onde estão os citados “critérios de sustentabilidade” e “criteriosas metodologias”?
Estaremos a assistir à lenta extinção dos bonitos trilhos de “pé posto”, desenhados pela vontade dos utilizadores e à medida da paisagem? Estará o único parque florestal da cidade a ser convertido em mais um parque urbano?
Queremos soluções mais naturais e para todas e todos, não queremos pedra e betão no nosso Monsanto!

Pode consultar a resposta da CML aqui: http://www.am-lisboa.pt/351000/1/008913,000188/index.htm

 

Leave a Reply