By

Voto de Saudação
Ao 25 de Abril e ao 1.º de Maio

Comemoramos o 25 de Abril de 1974, data da libertação política do povo português, após quase meio século de ditadura e obscurantismo. Em 2022, dentro de apenas quatro anos, teremos percorrido em democracia tanto tempo como o que percorremos em ditadura. Fez-se muita coisa acertada e outra tanta errada, e é bem altura de atualizarmos os nossos objetivos de libertação e bem estar social.

Perante os desafios que as sociedades enfrentam hoje em dia evocar Abril é mais do que uma memória colectiva mas um dever de renovar os seus valores. É certo que conquistámos muitos direitos, nomeadamente políticos e sociais, mas tanto ainda há a conquistar para a promoção de uma sociedade mais justa e igualitária e ainda alargando esses mesmos valores à protecção que nos merecem também os animais e a natureza.

Estamos em pleno Antropoceno, com a 6ª extinção em massa da diversidade de vida no planeta. O capitalismo triunfante conseguiu ultrapassar todas as regras de bem estar social conquistadas no século passado.

A falta de consciência holística faz com que animais humanos e não humanos sejam tratados de forma utilitária ao serviço da produção, desrespeitando a sua essência profunda, sucedendo o mesmo com os ecossistemas e com a natureza em geral.

A libertação de que carecemos todos nós nos dias que correm, já não é apenas a libertação política que hoje comemoramos embora esta ainda tenha um caminho para percorrer. A libertação de que hoje carecemos é a libertação global da vida na Terra, o fim de todas as barbáries executadas contra seres humanos sejam elas perpetradas na Síria ou em Gaza, o fim das grilhetas que ainda hoje martirizam os animais utilizados para espetáculos com seres humanos ou outros animais, e a falta de compaixão para com os animais de produção.

Devemos a libertação à Natureza no seu todo planetário contra o jugo do produtivismo, reconhecendo-lhe direitos inatos cujo desrespeito, poderá levar em última análise à destruição do nosso habitat.

Todos precisamos de todos em respeito por cada um.

44 anos anos passados, importa lembrar a importância dos valores de Abril se manterem bem presentes entre todos e todas nós, membros ativos da sociedade civil com um papel acrescido de responsabilidade.

E também é de respeito que falamos quando comemoramos o 1.º de Maio – Dia do Trabalhador.
Respeito pela luta iniciada há 132 anos essencial para a conquista de direitos laborais assim como para todos os trabalhadores que defendem uma sociedade mais justa, igualitária e solidária.
O Grupo Municipal do Pessoas -Animais – Natureza propõe que a Assembleia Municipal de Lisboa, na sua Sessão Ordinária de 24 de abril de 2018, delibere:

1. Saudar o 25 de Abril e o 1.º de Maio de 1974;
2. Saudar todas e todos que lutam por uma sociedade mais justa, igualitária e solidária.

 

Lisboa, 24 abril de 2018

O Grupo Municipal do 
PAN – Pessoas – Animais – Natureza

Miguel Santos       Inês de Sousa Real
(Deputados Municipais)

 

Leave a Reply