Declaração de Voto PAN: Relativa ao Voto n.º 131/XIII/2.ª, apresentado pelo CDS-PP, de Pesar pelo falecimento de Shimon Peres e Voto n.º 133/XIII/2.ª, apresentado pelo PS, de Pesar pela morte de Shimon;


Enquanto partido de causas que valoriza a vida, o PAN - lamenta a perda de um ser humano amado e respeitado pela sua família e amigos. Perante o sofrimento e a morte somos TODOS iguais. Por isso, enviamos as mais respeitosas condolências a toda a família, porque mais do que destacar as escolhas de um percurso profissional baseado em políticas nas quais não nos revemos, valorizamos e respeitamos a vida e o momento de quem perde um ente querido.

Os votos de pesar apresentados pelo Partido Socialista e pelo CDS-PP expressam o papel cimeiro que o líder israelita Shimon Peres desempenhou na tentativa de estabelecer compromissos entre Israel e Palestina para uma solução pacífica e de segurança mútua, assim como no reconhecimento da necessidade de existência e coexistência de dois estados fronteiriços. Este caminho para a paz levou à assinatura dos Acordos de Oslo em 1990 e valeram-lhe, tal como a Yasser Arafat, o prémio Nobel da Paz em 1994.

Não obstante, o seu papel como alto dirigente israelita - através dos cargos de Ministro da Defesa e Primeiro-Ministro - moldou a política interna e externa de Israel tanto no que toca ao reforço do militarismo e da ocupação e expansão de colonatos judaicos em territórios palestinianos, como à expansão do programa nuclear do país, mais especificamente no que concerne à posição oficial de “ambiguidade nuclear”.

A abstenção neste voto de pesar assenta no princípio da integridade e da coerência com as causas, com os valores e com as convicções dos cidadãos que aqui nos trouxeram.

Lisboa, 30 de Setembro de 2016