AçoresAgricultura, Mar e FlorestasAmbienteEuropeias 2019

Candidatos do PAN/Açores às Europeias pretendem mais fundos comunitários com destino à recuperação e conservação da biodiversidade marinha

Os candidatos do PAN/Açores às Eleições Europeias, Pedro Neves e Sónia Domingos, defendem um maior enfoque em aumentar verbas destinadas à conservação, recuperação e reabilitação de animais marinhos.

Os candidatos do PAN/Açores às Eleições Europeias, Pedro Neves e Sónia Domingos, defendem um maior enfoque no aumento das verbas destinadas à conservação, recuperação e reabilitação de animais marinhos.

Na visita ao Centro de Recuperação de animais marinhos do Aquário de Porto Pim, na ilha do Faial, os candidatos dos Açores afirmaram a necessidade de conservação do oceano, não só em campanhas de influência ética, mas num reforço, tanto de equipas multidisciplinares como no aumento de verbas de vários programas europeus com destino à fiscalização, recuperação e conservação da biodiversidade marinha na Zona Económica Exclusiva dos Açores.


O objetivo final será sempre a devolução dos animais à natureza, mas é urgente capacitar as equipas multidisciplinares com ferramentas adequadas para acompanhar um futuro compromisso da UE em travar a perda dos serviços ecossistémicos – Sónia Domingos

Mesmo com os programas de avaliação e monitorização existentes, uns finalizados como o NetBiome e o MISTIC’SEAS I, ou prestes a terminar como o MISTIC’SEAS II e o INDICIT, é necessário, além de monitorização, uma rede de programas de recuperação e conservação destinadas a uma ação directa de defesa de espécies marinhas em risco, desde os cetáceos, tubarões, tartarugas e aves marinhas.

Pedro Neves

“A UE necessita de implementar imediatamente defesas concretas e robustas para que se passe pela regulação e fiscalização, de modo a eliminar as capturas acidentais de espécies em risco e na restrição da pesca acessória de tubarões, bem como dotar com mais verbas comunitárias os centros existentes de recuperação que resgatam e reabilitam espécies apanhadas em redes e linhas ou intoxicadas com plástico que entopem os nossos oceanos”, afirma o candidato Pedro Neves.

O Aquário de Porto Pim, integrado no Parque Natural do Faial, mais conhecido como o  “Hotel dos animais” como a equipa o intitula, já guarda várias histórias de sucesso na recuperação de tubarões e de tartarugas que foram posteriormente libertadas ao seu habitat natural.

Tartaruga em reabilitação

Apesar dos programas para monitorização e análise serem fulcrais para o estado de conservação das tartarugas marinhas, é também indispensável intensificar os meios humanos para a recuperação e um aumento da infraestrutura na zona de reabilitação para albergar mais espécies para o tratamento e bem-estar adequados, como já acontece na atualidade.

Pedro Neves e Sónia Domingos

Para a candidata Sónia Domingos, “o objectivo final dos animais será sempre na sua devolução  à natureza, mas é urgente capacitar as equipas multidisciplinares de ferramentas adequadas para acompanharem um futuro compromisso da UE em travar a perda dos serviços ecossistémicos, com a regulação e conservação dos nosso oceanos que, não só diminue a incidência e necessidade da ação humana na recuperação dos animais marinhos, mas para que as reincidências no resgate das espécies mais vulneráveis sejam cada vez menores”.

A degradação ambiental proveniente do lixo oceânico é uma realidade presente, com o plástico e artes de pesca antigas a encabeçar a lista de preocupações representado 70% do total do lixo marinho, colocando em causa a sustentabilidade dos recursos naturais danificando o equilíbrio dinâmico e ecológico da região açoreana.

Areal da Praia de Porto Pim

“A quantidade de partículas de plástico, seja micro, macro ou meso-lixo plástico encontradas na praia adjacente ao Aquário de Porto Pim é demasiado preocupante, sendo uma ameaça cada vez mais crescente para a nossa vida aquática. Apesar das novas regras da UE para reduzir o lixo marinho até 2030, os Açores precisam, com carácter de urgência, de ir mais além nas regras e metas estabelecidas e não em ir sempre a reboque das medidas aplicadas pela Comissão Europeia,” reforça Sónia Domingos, candidata do PAN/Açores às eleições europeias.

Para os candidatos do PAN/Açores às próximas eleições Europeias, a Rede Natura 2000 nos Açores, muito agregada ao Plano Agrícola Comum (PAC), tem que ter uma integração funcional e não distópica na gestão sustentável em prol da preservação das espécies, baseado na protecção e não no extrativismo como acontece presentemente.