EleiçõesLegislativasLegislativas 2019

PAN anuncia cabeças de lista para as Eleições Legislativas

As listas do PAN são constituídas por 129 homens e 164 mulheres, entre os 20 e os 75 anos, integrando profissionais das mais diversas áreas, nomeadamente justiça, ambiente, ensino, economia e gestão, saúde ou proteção animal

O PAN anunciou hoje em conferência de imprensa os seus cabeças de lista para as Eleições Legislativas do próximo dia 6 de outubro.

O principal objetivo eleitoral passa por garantir a eleição de um grupo parlamentar para reforçar o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido na defesa das causas que o partido defende.

As listas do PAN são constituídas por 129 homens e 164 mulheres, entre os 20 e os 75 anos, integrando profissionais das mais diversas áreas, nomeadamente justiça, ambiente, ensino, economia e gestão, saúde ou proteção animal.

Círculo Eleitoral

Cabeça de Lista
Açores

Pedro Neves, 40 anos, especialista em logística
Aveiro

Filipe Cayolla, 53 anos, Gestor e empresário na área de logística de hotelaria
Beja

Inês Campos, 45 anos, Investigadora nas áreas das Alterações Climáticas e Desenvolvimento Sustentável

Braga

Rafael Pinto, 23 anos, mestrando em Direito da União Europeia. Youtuber

Bragança

Paul Summers, 51 anos, trabalha na área do Turismo

Castelo Branco

Rebeca Lopes, 30 anos, Advogada, Pós-graduada em Ciências Forenses, Investigação Criminal e Comportamento Desviante
Coimbra

Sandra do Carmo, 50 anos, Professora universitária, doutoranda em Direito e Ética Animal
Évora

Luís Teixeira, 41 anos, jornalista, tradutor
Faro

Paulo Baptista, 42 anos, Consultor imobiliário
Guarda

Tânia Duarte , 32 anos, com formação em Gestão Hoteleira na Escola Superior de Turismo e Hotelaria de Seia, em 2018 publicou o livro “A mulher que apanhava lixo

Leiria

Rui Prudêncio, 44 anos, Bibliotecário, tem obra publicada nas áreas de História e Edição Literária

Lisboa

André Silva, 43 anos, Deputado do PAN à Assembleia da República eleito em 2015
Madeira

Ana Mendonça, 44 anos, Docente e investigadora do Centro de Ecologia Funcional da Universidade de Coimbra na área das alterações climáticas

Portalegre

Jorge Alcobia, 67 anos, Auditor de Sistemas de Gestão da Qualidade
Porto

Bebiana Cunha, 33 anos, Psicóloga, licenciada em psicologia, Mestre em relações intergeracionais

Santarém

Pedro Machado, 40 anos, formador em culinária vegana e gerente da cozinha do restaurante familiar

Setúbal

Cristina Rodrigues, 34 anos, Advogada. Foi técnica de apoio à vítima, advogada pro-bono de vítimas de violência doméstica.

Viana do Castelo

Ricardo Arieira, 36 anos, Consultor de Políticas Europeias
Vila Real

José Castro, 54 anos, Coach Pessoal e Organizacional

Viseu

Carolina Almeida, 36 anos, Psicóloga com especialidade em Psicologia Clínica e da Saúde

Europa

Gonçalo Galvão Gomes, 33 anos, trabalha na banca, dedicado à ação social, nomeadamente ao apoio e à integração de refugiados

Fora da Europa

Catarina Ressurreição, 40 anos, criadora de uma mercearia e oficina biológica em Cabo Verde

Os perfis biográficos de todos os cabeças de lista e primeiros candidatos e respetivas fotos podem ser consultados AQUI.

O programa eleitoral, o calendário e ações de campanha serão divulgados no final do mês de agosto. Depois de ter estado aberto à participação pública o programa focará áreas determinantes no contexto político e social nacional, como serão as áreas do combate à corrupção, ambiente, agricultura, saúde ou proteção animal.

  • O PAN propõe, no quadro de uma proposta de revisão constitucional, a criação de um tribunal com competência exclusiva para o julgamento de crimes de corrupção, a par do significativo reforço dos meios técnicos e humanos na área da justiça;
  • A área ambiental será uma das prioridades do PAN. O partido pretende criar um Seguro Público afeto a um superfundo ambiental para efeitos de remediação dos danos ambientais e proteção social dos trabalhadores (em caso de necessidade de suspensão de atividade de uma empresa reiteradamente poluidora, assegurar a proteção dos direitos destes trabalhadores);
  • O modo atual de produção de alimentos é insustentável, para além de introduzir agrotóxicos na cadeia alimentar. A Agricultura Biológica tem um papel fundamental no abastecimento alimentar seguro e sustentável, inclusivamente como mitigadora das alterações climáticas, promovendo a biodiversidade, utilizando de forma mais responsável recursos escassos como o solo, água ou energia, pelo que o programa do PAN apostará em corrigir as distorções de mercado que se verificam, nomeadamente o preço final ao consumidor, através de políticas fiscais que beneficiem modos de produção de alimentos mais sustentáveis e saudáveis como é o caso da Agricultura Biológica;
  • O envelhecimento da população e o aumento das doenças crónicas não transmissíveis estão a exercer uma forte pressão sobre o SNS com enormes dificuldades de resposta pela escassez de recursos. O PAN acredita que a sustentabilidade do SNS passa, também e obrigatoriamente, pela implementação de políticas de prevenção da doença e de promoção da saúde e vida saudável. Estas têm assumido um caráter preocupantemente secundário, consequência da concentração quase exclusiva de todos os meios e recursos no tratamento da doença. A prevenção representa apenas 1% do Orçamento para a Saúde, o que é manifestamente insuficiente. O PAN quer ainda reconhecer e regulamentar as carreiras de nutricionista e de psicólogo e garantir a presença destes profissionais nas escolas, hospitais e centros de saúde;
  • Implementação de um sistema público médico-veterinário de apoio às famílias carenciadas e aos movimentos associativos que tenham a seu cargo animais errantes ou abandonados. Este sistema vai concretizar-se através da criação de hospitais públicos nas áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto e nas comunidades intermunicipais, depois de ser feito o levantamento das necessidades em cada área, para adaptar as infraestruturas em função da densidade populacional e das necessidades reais da população.