AçoresAgricultura, Mar e FlorestasAmbienteRegionais Açores 2020

Audiência DOP – PAN/Açores defende aumento orçamental para os pólos Universitários

Os candidatos Alexandre Dias, Regina Santos, Luís Ramos e  Sónia Domingos estiveram em reunião e visita ao Departamento de Oceanografia e Pescas da Universidade dos Açores, com o coordenador e Investigador Professor Doutor Mário Rui Pinho e o Director do Centro de Investigação Okeanos-UAC, o investigador e Professor João Gonçalves.

O Departamento de Oceanografia e Pescas (DOP) é uma das unidades orgânicas da Universidade dos Açores (UAc) localizada  na Ilha do Faial. O único departamento nesta ilha.

Este Pólo foi criado em 1976, a fim de promover a compreensão científica, a conservação da vida marinha e o uso sustentável do Oceano Atlântico na região dos Açores e centro de investigação ligado às ciências marinhas. Os principais programas de investigação estão relacionados com a descrição, experimentação e modelação dos ecossistemas marinhos, nos campos da Ecologia e Biologia Marinha, Oceanografia Física e Química, e Pescas, sendo um centro de investigação internacional de excelência na RA Açores.

O OKEANOS é um Centro da UAc vocacionado para o estudo dos recursos vivos marinhos no arquipélago dos Açores.

Foi evidenciada a  tripolaridade e os problemas de financiamento que o PAN considera também insuficientes, defendendo no seu programa regional um cofinanciamento em orçamento regional e de Estado, assim como, a necessidade de mudar a forma de financiamento do Ensino Superior e politica de apoio a ciência e gestão de linhas para a investigação.

A necessária revisão da carreira docente foi também alvo de foco, com as necessárias alterações ao enquadramento jurídico assim como uma verdadeira estratégia sobre o investimento na área do mar; da possibilidade de optimizar recursos e estabelecer sinergias,  entre Escola Profissional/Escola do Mar e o pólo da Universidade.

O debate sobre a partilha dos mar e as responsabilidades agora acrescidas da região e a Mineração do Mar Profundo não podia deixar de acontecer  assim como a escala reduzida do conhecimento das áreas mapeadas, paradoxalmente feitas em áreas protegidas, e foi obviamente dado o ênfase aos  impactos nocivos da exploração dos ecossistemas nestas zonas, salvo para investigação não invasiva e à posição sempre constante do PAN contra a Mineração do Mar e a sujeição do futuro ambiental dos Açores em águas profundas.

“A procura de recursos renováveis deve ser a solução efectuada de forma sustentável, preservando os ecossistemas com milhões de anos e nunca utilizando-os de forma irreversível”, afirma o PAN/açores.

Foi, ainda, dado enfoque à futura instalação do laboratório para diagnóstico SARS-Cov2 na universidade e as suas potencialidades a longo prazo para investigação a doenças infecciosas, com investigação extensível às ciências do ambiente, veterinária e qualidade alimentar.